"Imagino uma escola, lugar de sonhos e fantasias, onde o corpo, faminto de SABER encontre o SABOR da descoberta, o prazer de aprender..."

( Rubem Alves)

A ESCOLA DO PAPAGAIO - história para REFLEXÃO com as crianças

Há algum tempo atrás havia um papagaio que estava cansado de viver só na floresta. Um dia, ele resolveu voar mais longe. Voou com a força de suas asas para fora da floresta. De repente, enxergou um lugar diferente. Tinha ruas, prédios, casas e muitas pessoas que caminhavam de um lado para o outro. Ele havia chegado na cidade.
Na cidade, viu lojas que vendiam de tudo um pouco, placas com coisas escritas, letras, sinais, cores, luzes que piscavam. Para todo lado que olhava via alguma coisa assim e ele não entendia nada.
Voando para outra rua viu um grupo de crianças sorridentes, com suas mochilas, indo para a escola. Como ele era muito conversador, foi logo puxando papo com as crianças. Elas lhe contaram que adoravam ir à ESCOLA, para aprender a ler, desenhar, fazer continhas e muitas outras coisas maravilhosas.
Após ouvir tudo isso, o papagaio ficou também entusiasmado para aprender a ler e escrever. Ficou imaginando como seria legal saber ler o nome das lojas, placas, livros de histórias e revistas; e também escrever cartas e recados para os seus amigos.
Procurou a escola e fez sua matrícula. Foi muito bom aluno: não faltava às aulas, prestava atenção, tentava fazer todas as atividades, era educado, sabia respeitar seus colegas e professores.
O papagaio aprendeu muito durante o tempo em que ficou na escola. Quando voltou à floresta, teve a idéia de construir uma escola para todos os seus amigos, os bichos da floresta. Na sala de aula, colocou um cartaz com todas as letras, um ABECEDÁRIO, para que todos aprendessem a ler.
Ele combinou então com seus amigos que todos viriam à escola de banho tomado, unhas cortadas... e que também seriam todos bons colegas, unidos e que se dedicariam para aprender bastante.
Foram seus alunos: o leão, a girafa, o jacaré, o macaco, o coelho, o elefante, o hipopótamo, a coruja, o tucano e até a cobra!!! A única que não quis estudar foi a ONÇA. Preferiu ficar na boa vida: brincando e dormindo.
Um dia, tempos depois, quando o papagaio voltava da cidade onde tinha ido comprar material escolar, ouviu uma conversa dentro do ônibus. Eram os CAÇADORES que estavam indo para a floresta e combinavam entre eles como pegariam os animais.
O papagaio voou janela afora em direção à floresta e conseguiu chegar antes dos caçadores. Teve então a idéia de espalhar placas pela floresta, alertando aos bichos sobre o perigo que estavam correndo. O QUE SERÁ QUE ESCREVEU NAS PLACAS? Todos os bichos liam os avisos e corriam se esconder. A onça, que não sabia nem ler, nem escrever, passava pelas placas sem se importar, continuando a brincar e a pular.
De repente chegaram os caçadores e BUUMMM!!! Acertaram um tiro na pata da onça, deixando-a ferida. Enquanto os caçadores chegavam para pegá-la, os bichos também correram para socorrê-la. Junto veio o papagaio, que como tinha estudado, sabia os direitos dos animais.
O papagaio disse aos caçadores que estavam errados em querer matar os bichos, pois muitos estão em EXTINÇÃO e eles seriam presos por causa disso.
Então, com a ajuda dos animais a onça foi salva. Foi levada à cidade para se tratar. Lá ficou constatado que ela nunca mais poderia pular, correr, subir em árvores... Como as pessoas tinham muito medo dela, foi levada para o zoológico e colocada em uma jaula, ficando para sempre assim, longe de seus amigos e sem poder fazer o que mais gostava.

EXPLORAR:

  • A importância de ler e escrever.
  • Discussão sobre compromissos e normas na escola. (POSSO - NÃO POSSO)
  • Os direitos dos animais.
  • Animais em extinção.
  • Listas com nomes, classificação dos animais.
  • Alfabeto.
  • Zona urbana - zona rural.
Pretendo contar esta história utilizando fantoches. Após , postarei aqui fotos para registrar.

3 comentários:

Um ótimo tema para se trabalhar com os alunos. Realmente precisamos ensinar as gerações que estão nas salas de aulas que a natureza precisa ser protegida. E protegendo a natureza estamos na verdade conservando a vida. E a própria vida do ser humano. Precisamo contribuir para que o ser humano continuem no processo de humanização, pois a nossa sociedade mundial parece que este processo está sendo motivado ao contrário.
E nesta estória, onde está a coruja?

Na história original não aparece a coruja. Se bem que, quando conto para as crianças cito outros animais além dos escritos. Mas gostei da lembrança da coruja, já vou acrescentar. Abraço.

Muito legal seu blog e otimo, e muito criativo, se depois vocês quiser olhar o meu blog e dar a sua opnião eu ficarei muito grato: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

Postar um comentário

COMEÇAR DE NOVO...

contador

Voltar para o topo