"Imagino uma escola, lugar de sonhos e fantasias, onde o corpo, faminto de SABER encontre o SABOR da descoberta, o prazer de aprender..."

( Rubem Alves)

SOU PROFESSORA. COM MUITO ORGULHO!


Desde pequenos, somos cercados por pessoas que admiramos e que temos como ídolos. Pais, amigos, as princesas e os príncipes encantados dos contos de fadas... Todos eles tem seu valor em diferentes etapas da vida, com suas características de valentia, grandeza, integridade.. 
Um desses ídolos, com certeza, é o professor. Podem passar-se anos, mas a gente nunca esquece dele, principalmente quando nos marcou de alguma forma com seu jeito de agir ou sua disciplina ensinada, com suas  aulas que se tornam momentos divertidos e que ficarão na memória pela vida toda.

O painel acima encontrei em um blog que não recordo o nome...

Eu sou um professor.
Nasci no primeiro momento em que uma pergunta saltou da boca de uma criança.
Tenho sido muitas pessoas em muitos lugares.
Sou Sócrates, estimulando a juventude de Atenas para descobrir novas idéias usando perguntas.
Sou Anne Sullivan, tamborilando os segredos do universo sobre a mão estendida de Helen Keller.
Sou Esopo e Hans Christian Andersen, revelando a verdade por meio de muitas, muitas estórias.
Sou Darcy Ribeiro, construindo uma universidade a partir do nada no planalto brasileiro.
Sou Ayrton Senna, que transforma sua fama de herói esportista em recursos para educar crianças em seu país.
Sou Anísio Teixeira, na sua luta de democratização da educação para que todas as crianças brasileiras tenham acesso à escola.
Os nomes daqueles que exerceram minha profissão constituem uma galeria da fama da humanidade: Buda, Paulo Freire, Confúcio, Montessori, Emilia Ferreiro, Moisés, Jesus.
Eu sou também aqueles nomes e rostos que já foram esquecidos, mas cujas lições e cujo caráter serão para sempre lembrados nas realizações dos que educaram.
Já chorei de alegria em casamentos de ex-alunos, ri de felicidade pelo nascimento de seus filhos e me quedei de cabeça baixa, em dor e confusão, junto a sepulturas cavadas cedo demais para corpos jovens demais.
No decorrer de um dia já fui chamado para ser artista, amigo, enfermeiro, médico, treinador; tive de encontrar objetos perdidos, emprestar dinheiro, fui motorista de táxi, psicólogo, substituto de pai e mãe, vendedor, político e guardião da fé.
Apesar de mapas, gráficos, fórmulas, verbos, histórias e livros, na verdade não tive nada a ensinar aos meus alunos porque o que eles de fato têm de aprender é quem eles são. E eu sei que é preciso um mundo para ensinar a uma pessoa quem ela é.
Eu sou um paradoxo. Quanto mais escuto, mais alta se faz ouvir minha voz. Quanto mais estou disposto a receber com simpatia o que vem de meus alunos, mais tenho para oferecer-lhes.
Riqueza material não faz parte dos meus objetivos, mas eu sou um caçador de tesouros, dedicado em tempo integral à procura de novas oportunidades para meus alunos usarem seus talentos e buscando sempre descobrir seu potencial, às vezes enterrado sob o sentimento do fracasso.
Sou o mais afortunado dos trabalhadores.
Um médico pode trazer uma vida ao mundo num só momento mágico. A mim é dado cuidar que a vida renasça a cada dia com novas perguntas, melhores idéias e amizades mais sólidas.
Um arquiteto sabe que, se construir com cuidado, sua estrutura pode durar séculos. Um professor sabe que, se construir com amor de verdade, sua obra com certeza durará para sempre.
Sou um guerreiro que luta todos os dias contra a pressão de colegas, a negatividade, o medo, o conformismo, o preconceito, a ignorância e a apatia. Mas tenho grandes aliados: a inteligência, a curiosidade, o apoio dos pais, a individualidade, a criatividade, a fé, o amor e o riso. Todos vêm reforçar minha trincheira.
E a quem devo agradecer pela vida maravilhosa que tenho senão a vocês, pais, que me honraram ao me confiar seus filhos, que são sua maior contribuição para a eternidade.
E assim tenho um passado rico em recordações. Tenho um presente desafiador, cheio de aventuras e alegrias, porque me é dado passar todos os meus dias com o futuro.
Sou um professor... e agradeço a Deus por isso, todos os dias.

John W. Schlatter é um ex-professor americano.
Seu poema foi extraído do best seller Chicken Soup for the Soul (Canja de Galinha para a Alma), de Jack Canfield e Mark Victor Hansen.
Tradução de Tatiana Belinky e adaptação de Guiomar Namo de Mello

Fonte:http://novaescola.abril.com.br/ed/106_out97/html/celebracao.htm


____________________________________________________________________


Não sei o que combina mais contigo,
Uma poesia, um livro, uma pintura,
Sinceramente fico pensando
No que deve dar alegria
A alguém que é objeto da alegria de tantos.
Na verdade, o professor de verdade,
É aquele que prefere dividir o que possui,
Do que ter somente para si.
O verdadeiro mestre, sente-se feliz
Quando percebe que o caminho que
Ele abriu tem sido trilhado por muitos.
O mestre tem a sua realização no aprendizado
Do pupilo, da passagem da experiência.
É por isso que meras palavras
Não podem recompensar
A alguém que optou por esta carreira
Que muitas vezes é dolorosa e cheia de espinhos.
Chamo – te somente mestre, abnegado coração.
Que se sensibiliza com os olhos sedentos
Por uma vida menos escura, mas cheia de luz.
E essa luz está em suas mãos, em seu coração, em seu olhar.
Que bom que existe um dia
Reservado só pra você!
Obrigado por sua obstinação incontida,
Pois graças a ela, você nunca desiste.
Você é muito importante, espero que você seja sempre assim.

Desconheço a autoria.

______________________________________________________________


______________________________________________________________

MINHA PROFESSORA

Mãe, eu tenho boas novas,
mas tem uma bem ruim.
Uma me deixou alegre,
outra é bem triste para mim...

Uma é que passei de ano,
tudo azul no boletim.
Eu só tive boas notas,
do começo até o fim.

Mas a outra é muito triste,
é pior do que castigo:
É que minha professora
não passou junto comigo!

Que será que aconteceu?
Vou falar com a Diretora:
se eu sou bom aluno,
ela é boa professora!

Vou ter outra ano que vem,
vai que eu logo me acostume...
E se eu gostar da nova,
essa vai ter ciúme?

Dessa minha professora,
o que eu digo é verdade,
sei que no ano que vem,
dela vou sentir saudade...

Seu carinho e paciência
vou levar junto comigo,
Pois se eu ganho um novo amor,
nunca esqueço do antigo!

1 comentários:

Parabém pela estrutura e conteudo de seu blog
compartilhando aqui, abração Renato
http://renatoartesanato.com/loja/

Postar um comentário

COMEÇAR DE NOVO...

contador

Voltar para o topo